O Dia Mundial de Proteção aos Manguezais é uma data que merece a atenção dos brasileiros. Afinal, é neste ecossistema ameaçado pela ação humana que a vida se manifesta das mais diversas formas.

Os manguezais são áreas úmidas que ocorrem na transição entre ambientes marinhos e terrestres, sujeitos ao regime de marés. Ocorrem nas regiões tropicais e subtropicais do planeta e no Brasil se estendem desde o Oiapoque, no Amapá, até Laguna, em Santa Catarina, totalizando uma área de 1.2 milhão hectares.

O Manguezal de Vitória se destaca com área de 891,83 hectares, conhecido como um dos maiores e mais belos manguezais urbanos do mundo. Berço da vida marinha, é o porto seguro para diversos seres que encontram em suas águas tranqüilas a garantia de perpetuação de suas espécies. De forma ordenada e controlada, o manguezal é utilizado para fins científicos, educacionais e turísticos, sendo também uma fonte de subsistência para os pescadores locais e suas famílias, ao ofertar ingredientes imprescindíveis à tradicional culinária capixaba como o siri e o caranguejo.

Navegável, o mangue oferece uma rota que permite a visão panorâmica de toda a costa oeste de Vitória, começando pelo antigo Cais do Hidroavião e Santuário de Santo Antônio, com opção de parada na Ilha das Caieiras, para visitar os pequenos restaurantes do local e também o galpão das Desfiadeiras de Siri. Há opções de navegação pelo manguezal em pequenos barcos para conhecer seus muitos canais, dentre eles o Canal dos Escravos, onde também podem ser vistos alguns sambaquis, verdadeiras esculturas naturais, formados pelo acúmulo de conchas e esqueletos.

Você sabia que é possível conhecer o Manguezal de Vitoria?

Sim, é possível! Recentemente tive a oportunidade de viver uma experiência com a Agência The Nature Guide (thenatureguide.com), onde foi possível vivenciar o modo de vida dos pescadores artesanais da Ilha das Caieiras que ainda utilizam a tradicional técnica do Jererel, praticada pela manhã. Pude acompanhar de perto o processo e o modo de vida das famílias de pescadores na Ilha das Caieiras, embarquei em uma canoa no Museu do Pescador e partimos para conhecer a pesca e os espetaculares canais do manguezal, desbravando a parte menos conhecida de Vitória: a baía noroeste. Tive a oportunidade de conhecer e desembarcar no Caborê, nome dado ao último terreno ancestral das práticas tradicionais dos pescadores. Por fim, finalizamos em um almoço em um dos restaurantes da Ilha das Caieiras.

Comemoração em Vitória

Para comemorar o Dia Mundial de Proteção aos Manguezais a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Vitória preparou várias atividades educativas. Nestas quinta (25) e sexta (26), os alunos da rede municipal de ensino de Vitória e do Senac terão a oportunidade de caminhar pelo “Mapa Gigante Interativo dos Ecossistemas de Vitória”, que tem cerca de 50 metros quadrados, o que equivale a pouco menos da metade de uma quadra de futsal. É uma rica oportunidade para que todos possam identificar, localizar e conhecer mais sobre o território e a diversidade do ecossistema manguezal. Na quinta, será no Ginásio Jones dos Santos Neves e, na sexta, no Tancredão, das 7h30 às 11h30 e das 13 às 17 horas.